Atração no ARS
NO AR
Tocando agora
VOCÊ CURTE
EM DOURADOS
13/12/2023 17h00min - Economia
7 meses atrás

Reforma tributária: setor agropecuário reprova alterações feitas pelo Senado

PEC 45/2019 será um dos temas discutidos no Congresso Nacional nesta quinta-feira (14)

Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil ► 
Fonte: Fonte Brasil 61



Há apenas duas semanas do fim do ano legislativo, a reforma tributária será um dos destaques na pauta do Congresso Nacional nesta quinta-feira (14). Após alterações da PEC 45/2019 no Senado Federal, o texto retornou para a Câmara dos Deputados. 

O deputado Pedro Lupion (PP-PR), presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA), afirma que as mudanças feitas no Senado são negativas e não só para o setor. 

“Aumentando bastante a alíquota, gerando uma concentração de fundos e, principalmente, mais despesas. Nós não temos como aceitar. Então, estamos aguardando o relator Aguinaldo Ribeiro, da Câmara, nos apresentar como vai ficar esse relatório, qual que vai ser o resultado final dessa nova organização do projeto. Hoje, do jeito que está no Senado nós não temos como apoiar, então precisa resolver vários pontos”, comenta.

A declaração foi dada durante coletiva de imprensa na sede da FPA, nesta terça-feira (12), após reunião entre os membros para discutir as pautas da semana. 

O deputado ainda completa: “Temos posições formadas nos mais diversos temas e vamos enfrentá-los conforme forem parecendo prejudiciais ao nosso setor”.

Mudanças

Em relação ao texto da Câmara, o Senado aumentou a lista de regimes que terão tratamento diferenciado, seja com alíquota mais baixa ou isenção total. 

Mas também foi incluída na proposta da reforma a avaliação, a cada 5 anos, de custo-benefício para os regimes que terão tratamento diferenciado no novo sistema de cobrança de impostos. 

A ideia é que, após este período, seja reavaliada a lista dos setores cujos bens e serviços terão alíquota reduzida ou até a isenção da Contribuição sobre Bens e Serviços (CBS) e do Imposto sobre Bens e Serviços (IBS). 

O texto da reforma prevê que 13 categorias de bens e serviços terão um IVA — soma de CBS e IBS — 60% inferior à alíquota padrão. Já os profissionais liberais terão alíquota reduzida em 30%.



•  

Brasil 61
Publicada em:

Usamos os cookies e dados de navegação visando proporcionar uma melhor experiência durante o uso do site. Ao continuar, você concorda com nossa Política de Privacidade.