Atração no ARS
NO AR
Tocando agora
VOCÊ CURTE
EM DOURADOS
21/02/2024 10h30min - Esporte
2 meses atrás

Projeto de modernização do Couto Pereira não deve ter redução da capacidade do estádio

Casa do Coritiba é vista pela SAF do clube como um dos principais trunfos e fontes na geração de receita no futuro e deve receber investimento de R$ 500 milhões

Foto divulgação ► 
Fonte: Fonte TV Cultura / UOL



O Coritiba passa por uma reestruturação de sua infraestrutura desde que a Treecorp, principal investidora na SAF do clube, assumiu a direção em outubro do ano passado. Um dos pontos que está previsto no projeto denominado "Visão 2030", implantado pela empresa, é a de que o time curitibano receba uma reforma de modernização do estádio Couto Pereira.

Desde que a informação circulou, a principal preocupação do torcedor coxa-branca tem sido em relação a uma possível diminuição da capacidade do local. Atualmente comportando 38.807 torcedores, o Coritiba costuma disponibilizar para a venda de ingressos algo em torno de 35 mil lugares. A redução se dá por causa de um bolsão de segurança que é definido pelo alvará de segurança obtivo pelo clube. O CEO da SAF do Coritiba, Carlos Amodeo, contudo, tranquiliza o torcedor.

“Não pensamos em fazer uma remodelagem do Couto Pereira que reduza essa capacidade do estádio”, diz o executivo. Amodeo explica que já existe uma planta desenvolvida e aprovada pela antiga diretoria antes da chegada da SAF e do investidor. Ele faz a ressalva, contudo, que, embora a planta deva ser aproveitada, também pode receber algumas mudanças.

A reforma do Couto Pereira deverá ser a última de três etapas do projeto baseado em quatro pilares: desportivo, infraestrutura, governança e compliance e engajamento dos fãs. A estimativa é de que o aporte inicial para as reformas seja na casa dos R$ 500 milhões.

“O Couto Pereira tem 91 anos. Ele já é um estádio mais antigo que vem sendo conservado com suas manutenções, mas não é um estádio moderno que traz conforto [para o torcedor] de estacionamento, elevadores (...) o pensamento é criar equilíbrio e oferecer tanto áreas populares como áreas mais elitizadas que ofereçam maior conforto”, afirma o CEO da SAF.

O objetivo principal com a conclusão do projeto é fazer com que o Couto Pereira se torne para o Coxa, o que o Allianz Parque representa para o Palmeiras, em São Paulo, e, desta forma, torne-se no futuro uma potente fonte de geração de receitas tanto com a possibilidade de oferecer atrativos que tragam novos sócios e sócios-torcedores como na realização de shows.



•  

TV Cultura / UOL
Publicada em:

Usamos os cookies e dados de navegação visando proporcionar uma melhor experiência durante o uso do site. Ao continuar, você concorda com nossa Política de Privacidade.