Atração no ARS
NO AR
Tocando agora
VOCÊ CURTE
EM DOURADOS
21/12/2023 18h00min - Tecnologia
5 meses atrás

Maior cabo submarino do mundo vai levar energia da Dinamarca até o Reino Unido


Imagem: Divulgação/ Prysmian) ► 
Fonte: Fonte Grande FM



Com mais de 765 quilômetros, o Viking Link é o maior cabo submarino elétrico (terrestre e marítimo) entre países do mundo. Capaz de transportar eletricidade  pelo fundo do mar da Dinamarca  até o Reino Unido , essa é uma das grandes obras de engenharia moderna.

Obra da engenharia

A construção do gigantesco cabo enfrentou vários desafios.

Um deles foi atravessar o chamado Mar do Norte, um dos menos profundos do mundo.

Isso fez com com que as medidas de proteção contra possíveis danos ou sabotagens tenham sido fundamentais.

O último trecho da ligação foi concluído em julho deste ano, com um navio lança-cabos chamado Leonardo da Vinci.

A operação envolveu retirar seções de cabos da água e prendê-los ao navio.

Cabo submarino vai transportar energia

O Viking Link pesa cerca de 40 kg por metro, três vezes mais que uma barra de ouro, e vai começar a funcionar em sua capacidade máxima no final de dezembro deste ano. O enorme cabo transportará a energia produzida em parques eólicos da Dinamarca e do Reino Unido

"Simplesmente, quando a Dinamarca apresenta escassez de energia elétrica e o Reino Unido tem muito vento, apertamos um interruptor e a potência muda de direção de uma área que tem demasiada eletricidade para outra onde ela é mais necessária". comentou Rebecca Sedler, diretora geral de interconectores da empresa National Grid

Os dois países estabeleceram o objetivo de consumir apenas eletricidade que não gere emissões de carbono até 2030 e 2035, respectivamente. No entanto, eles ainda não conseguem suprir a demanda por energia elétrica apenas com fontes renováveis, como eólica, solar ou biomassa, ou mesmo nuclear.

Dessa forma, o Vinking Link serve para canalizar e distribuir energia onde ela for necessária, reduzindo a necessidade de queimar gás para produzir energia, por exemplo. A construção da estrutura começou em 2019 e, até o momento, já foram investidas mais de três milhões de horas de trabalho em planejamento e na execução da obra.

O cabo de transmissão elétrica é feito de cobre, aço, papel e plástico e fica enterrado no fundo do mar. O custo do projeto é de US$ 2,3 bilhões (cerca de R$ 11,1 bilhões). Uma vantagem do projeto, segundo especialistas, é a diferença de horário entre os dois países que faz com que os picos de utilização de energia ocorram em momentos diferentes.



•  

Grande FM
Publicada em:

Usamos os cookies e dados de navegação visando proporcionar uma melhor experiência durante o uso do site. Ao continuar, você concorda com nossa Política de Privacidade.