Atração no ARS
NO AR
Tocando agora
VOCÊ CURTE
EM DOURADOS
27/03/2024 16h01min - Geral
3 semanas atrás

Macron está na Amazônia pela primeira vez


 ► 
Fonte: Fonte Grande FM



Mais do que nunca, é imperativo que nações ao redor do mundo se unam em prol da preservação ambiental e do respeito aos direitos dos povos indígenas. O recente compromisso anunciado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva e pelo presidente francês, Emmanuel Macron, é um passo significativo nessa direção.

Em uma demonstração de solidariedade e responsabilidade global, Lula e Macron comprometeram-se a investir US$ 1 bilhão de dólares cada em iniciativas voltadas para a promoção da biodiversidade, o desenvolvimento econômico das comunidades indígenas e a preservação das florestas tropicais, em particular a Amazônia.

Essa parceria transcende fronteiras e interesses individuais, visando proteger um dos tesouros mais preciosos da humanidade: a maior floresta tropical do mundo. Além disso, reforça o compromisso de respeitar e empoderar os povos indígenas, que são guardiões ancestrais dessas terras e cujas vozes devem ser ouvidas e respeitadas em todas as decisões que afetam seus territórios.

É crucial destacar que a preservação da Amazônia não é apenas uma responsabilidade dos países que a abrigam, mas sim de toda a comunidade internacional. Países que já desmataram significativamente suas próprias florestas têm o dever moral e ético de contribuir financeiramente para os esforços de conservação, como proposto por Lula ao pedir que os países mais industrializados doem US$ 100 bilhões por ano para ações climáticas.

Ao mesmo tempo, é fundamental combater atividades prejudiciais, como o garimpo ilegal, que ameaçam não apenas a biodiversidade da região, mas também a subsistência e a cultura dos povos indígenas que dependem dessas florestas para sua sobrevivência física e espiritual.

Nesse contexto, a iniciativa anunciada por Macron, apelidada de "Apelo de Belém", representa um compromisso firme em prol da bioeconomia e do desenvolvimento sustentável, visando conciliar o progresso econômico com a preservação ambiental e o respeito aos direitos humanos.

A cooperação internacional pela preservação da Amazônia e dos povos indígenas é mais do que uma necessidade; é um imperativo moral e uma demonstração clara de que, juntos, podemos proteger e salvaguardar nosso planeta para as gerações futuras.



•  

Grande FM
Publicada em:

Usamos os cookies e dados de navegação visando proporcionar uma melhor experiência durante o uso do site. Ao continuar, você concorda com nossa Política de Privacidade.