Atração no ARS
NO AR
Tocando agora
VOCÊ CURTE
EM DOURADOS
12/08/2023 08h30min - Geral
7 meses atrás

Hidrogênio verde: Brasil possui forte potencial competitivo no mercado mundial


Agência Brasil ► 
Fonte: Fonte Brasil 61



O Brasil possui um forte potencial competitivo no mercado mundial de hidrogênio verde ou hidrogênio descarbonizado. A análise foi feita por representante do setor em audiência pública na Comissão Especial de Transição Energética e Produção de Hidrogênio da Câmara dos Deputados, na última terça-feira (08). 

Na ocasião, a diretora-executiva adjunta da Câmara de Comércio e Indústria Brasil-Alemanha, Loana Von Gaevernitz Lima, destacou os pontos favoráveis ao Brasil no mercado mundial de hidrogênio verde.

“O Brasil possui uma posição estratégica única, tanto pela disponibilidade de fontes renováveis quanto pela infraestrutura para escoamento desse hidrogênio por meio dos hubs portuários que estão se formando. Nós temos também uma vasta presença de empresas alemãs aqui no Brasil, o que facilita a transferência de tecnologia para desenvolvimento de cadeias de valor globais.”

Além do potencial para exportação, Loana Lima ressaltou a demanda do mercado doméstico por hidrogênio verde.

“Eu chamo atenção também para o potencial no próprio mercado doméstico, seja a partir de iniciativas das indústrias como potenciais consumidoras, como é o caso da indústria siderúrgica, transportes, química.”

Demanda internacional

O hidrogênio verde é um material obtido a partir da decomposição da água por meio de uma corrente elétrica. Para diminuir ainda mais os impactos ambientais, são usadas nesse processo energias renováveis, como a solar e a eólica, por exemplo. 

Já o hidrogênio cinza é obtido a partir de combustíveis fósseis, da mesma forma que a gasolina, por exemplo, e é um processo que emite muito CO² na atmosfera.

A diretora-executiva adjunta da Câmara de Comércio e Indústria Brasil-Alemanha disse que o governo alemão vislumbra o hidrogênio verde como um vetor chave para a descarbonização da economia do país. Segundo ela, os alemães consomem atualmente 55 terawatt-hora (TWh) de hidrogênio cinza, com expectativa de aumento de até 140% dessa demanda até 2030.

“Desses 140% apenas 50% no máximo será produzido na Alemanha, o que repercute uma necessidade muito grande de políticas de importação desse hidrogênio. Uma importação que se faz necessária, não apenas a partir de países da própria União Europeia, mas também de países no offshore.”



•  

Brasil 61
Publicada em:

Usamos os cookies e dados de navegação visando proporcionar uma melhor experiência durante o uso do site. Ao continuar, você concorda com nossa Política de Privacidade.