Atração no ARS
NO AR
Tocando agora
VOCÊ CURTE
EM DOURADOS
02/12/2023 16h00min - Mato Grosso do Sul
7 meses atrás

Covid-19: 49 municípios de MS registraram novos casos da doença na última semana

Infectologista aponta fatores que provocaram o aumento dos casos e alerta para medidas de proteção

Agência Brasil ► 
Fonte: Fonte Brasil 61



Em Mato Grosso do Sul, 49 municípios registraram novos casos de Covid-19 nos últimos sete dias. Em todo o estado, foram  995 novos casos de contaminação pelo coronavírus neste período. Os dados são do último boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria de Saúde do estado.

De acordo com o boletim, Campo Grande foi a cidade que mais registrou ocorrências, com 340 notificações da doença, seguida por Ponta Porã (52), Amambai (41), Dourados (39), Maracaju (33), Sete Quedas (33), Anaurilândia (32), Bela Vista (30), Nova Andradina (28), Itaquiraí (27) e Três Lagoas (26).

Os municípios que apresentaram o menor número de novos casos foram Mundo Novo (11), Nova Alvorada do Sul (10), Bodoquena ( 9 ), Sidrolândia ( 9 ), Coxim ( 8 ), Laguna Carapã ( 8 ), Jardim ( 7 ), Pedro Gomes ( 7 ) e Sonora ( 7 ).

Julival Ribeiro, infectologista, explica os fatores que provocaram o aumento nos casos de Covid-19. “Em primeiro lugar, nós sabemos que a vacina nos dá uma proteção durante certo tempo, e com o passar dele, nós vamos perdendo essa proteção. Além disso, pessoas idosas, com doenças crônicas, respondem muito menos à vacinação do que as pessoas sadias.”

De acordo com o infectologista, é recomendado que as pessoas se vacinem contra a Covid-19 e que também façam o reforço com a dose bivalente. “Quando tomamos novas vacinas, esses reforços, ocorre um novo estímulo, que aumenta nossa proteção em relação à doença”, destaca.

A Secretaria de Saúde de Mato Grosso do Sul informa que o surgimento de novas variantes do coronavírus é um fator que contribui para o aumento de casos da doença, assim como a baixa cobertura vacinal e diminuição das medidas de prevenção.

Medidas de prevenção

Além da vacinação, que continua sendo a principal estratégia de prevenção, outros cuidados são recomendados pela Secretaria. São eles:

Utilizar máscaras se estiver com sintomas respiratórios e evitar contato principalmente com idosos, crianças e pessoas com  fatores de risco (doenças prévias).

Realizar isolamento ou distanciamento social;

Lavar as mãos com água e sabão ou álcool em gel a 70%.

Julival Ribeiro também recomenda medidas de proteção, principalmente para idosos e pessoas com doenças crônicas, como hipertensão, diabetes, câncer, entre outros. “Na minha visão, ao se deslocar para algum ambiente com baixa ventilação, aglomerados, essas pessoas na realidade devem usar uma máscara. E não esquecer de higienização higienizar suas mãos, sobretudo em locais aglomerados, fechados e com baixa ventilação”, completa o infectologista.



•  

Brasil 61
Publicada em:

Usamos os cookies e dados de navegação visando proporcionar uma melhor experiência durante o uso do site. Ao continuar, você concorda com nossa Política de Privacidade.