Atração no ARS
NO AR
Tocando agora
VOCÊ CURTE
EM DOURADOS
04/07/2023 12h00min - Agricultura
9 meses atrás

Colheita do milho safrinha está atrasada

Mesmo com clima favorável, ritmo vem atrás da safra anterior

Pixabay ► 
Fonte: Fonte Agrolink



Os últimos dados do monitoramento semanal da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) sinalizam uma progressão positiva nas lavouras de milho safrinha em diversas regiões do país. Mesmo diante de algumas adversidades climáticas, o panorama se mostra promissor e a produtividade tem se mantido em níveis elevados. Em Mato Grosso, principal estado produtor de milho safrinha, a maioria das lavouras se encontra em fase de maturação, e os trabalhos de colheita têm se intensificado. A produtividade mantém-se robusta, reforçando a força da agricultura mato-grossense.

No Mato Grosso do Sul, a diminuição das chuvas não se mostrou um empecilho para a evolução das lavouras tardias. A umidade presente no solo tem favorecido a maturação do milho, consolidando um cenário favorável para a safrinha. Em Goiás, o clima seco impulsionou a colheita no Sudoeste do estado, e as primeiras áreas colhidas apresentaram boas produtividades, demonstrando a resiliência do setor frente às adversidades climáticas.

O Paraná, por sua vez, sofreu com a ocorrência de geadas em áreas de baixada, no Sudoeste do estado, causando prejuízos em algumas lavouras. Ainda assim, a colheita já iniciou, ainda que timidamente.

Em São Paulo e Minas Gerais, as condições climáticas têm favorecido a maturação e colheita do milho. Em São Paulo, as chuvas vieram em boa hora para as lavouras tardias. Em Minas, o tempo seco permitiu um maior avanço na colheita do milho safrinha.

O Maranhão apresenta um quadro de boas condições para as lavouras, com a colheita já em andamento. Da mesma forma, em Tocantins a colheita se espalha pelo estado, e as produtividades apresentam variação de acordo com a época de semeadura. No Pará, a colheita ocorre em todas as regiões produtoras, e as chuvas têm beneficiado as lavouras na região Oeste do estado. No Piauí, no entanto, o quadro é mais desafiador: a maioria das lavouras está em maturação, mas a falta de chuvas tem prejudicado a produtividade.

A expectativa agora é acompanhar a continuidade dos trabalhos de colheita e o comportamento do clima nas diferentes regiões produtoras de milho safrinha. Desafios à parte, o setor agrícola brasileiro mostra sua força e capacidade de adaptação diante das adversidades.

Dando sequência à análise da safrinha de milho, os dados atualizados sobre a colheita em vários estados também merecem destaque. A média de colheita nos nove estados até o dia 1º de julho está em 20,0%, uma melhora em relação aos 11,0% da semana anterior, porém inferior aos 28,0% da safra passada no mesmo período.

Em Goiás, mesmo com o clima seco impulsionando a colheita, a porcentagem da área colhida até 1º de julho está em 7,0%, um avanço significativo em relação à semana anterior, quando se encontrava em 1,5%, mas ainda aquém da safra passada, que atingiu 13,0%.

No Piauí, a situação é semelhante à de Goiás, com a colheita avançando para 7,0%, em comparação com 3,0% na semana anterior, mas ainda abaixo dos 12,0% da safra passada.

Tocantins, por sua vez, destaca-se com um salto expressivo na colheita, passando de 8,0% na semana anterior para 30,0% no dia 1º de julho, superando a marca de 23,0% da safra passada.

Já em São Paulo, ainda não foi registrada atividade de colheita, mantendo o percentual de 0,0%, abaixo dos 12,0% registrados na safra passada no mesmo período.

Em Minas Gerais, a colheita tem avançado bem, atingindo 9,0% da área plantada, um aumento notável em relação ao 1,0% da semana anterior e acima dos 7,0% da safra passada.

O Maranhão registra um avanço na colheita de 12,0% para 22,0%, ainda que abaixo dos 30,0% registrados na safra passada. Mato Grosso do Sul, por outro lado, apresenta um lento avanço, passando de 1,0% na semana anterior para 2,0%, também atrasado em relação aos 12,0% da safra passada.

Mato Grosso, o principal estado produtor, apresenta 35,9% da área já colhida, um avanço em relação aos 20,7% da semana anterior, mas inferior aos 51,2% do mesmo período na safra passada. Por fim, o Paraná mostra uma estagnação na colheita, mantendo-se em 3,0% desde a semana anterior, igual à safra passada neste período.

Informações obtidas no boletim de Progresso de Safra da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab)



•  

Agrolink
Publicada em:

Usamos os cookies e dados de navegação visando proporcionar uma melhor experiência durante o uso do site. Ao continuar, você concorda com nossa Política de Privacidade.