Atração no ARS
NO AR
Tocando agora
VOCÊ CURTE
EM DOURADOS
17/10/2023 20h00min - Tecnologia
5 meses atrás

China libera transporte de passageiros por táxi-drones

A certificação significa que o táxi-drone EH216-S "cumpre totalmente os padrões de segurança e os requisitos de aeronavegabilidade"

Imagem: Ehang/Divulgação ► 
Fonte: Fonte Grande FM



O governo da China deu um passo importante na liberação do uso comercial de táxi-drones. A administração de Aviação Civil chinesa concedeu, no último dia 13 de outubro, uma certificação para o início dos testes com passageiros da tecnologia desenvolvida pela empresa EHang Holdings.

Táxi-drone EH216-S

 A decisão das autoridades chinesas significa que o táxi-drone EH216-S “cumpre totalmente os padrões de segurança e os requisitos de aeronavegabilidade”.

O processo de validação examinou componentes, equipamentos e toda a aeronave em busca de defeitos, falhas e interferências pré-fabricadas durante experimentos de laboratório e testes de voo.

Foram mais de 40 mil voos de testes. 

Agora, a EHang está autorizada a levar passageiros em passeios aéreos oferecidos por meio de parcerias locais na província de Xinjiang e Shenzen.

O início dessas viagens de teste deve ocorrer já nas próximas semanas.

As informações são da The Verge.

Certificação nos EUA ainda pode demorar

O EH216-S é semelhante a um drone e é controlado remotamente. Movido a bateria, ele pode transportar até duas pessoas.

O táxi-drone pode voar por 25 minutos a cerca de 100 quilômetros por hora. Ainda não há informações de quanto custará cada viagem.

A empresa demonstrou uma versão de seu táxi voador nos Estados Unidos em 2020. Na oportunidade, cem pessoas foram transportadas pela tecnologia em Raleigh, na Carolina do Norte.

Além da EHang, a Wisk, apoiada pela Boeing, apresentou seu táxi voador de quatro lugares no ano passado. Já a concorrente Archer garantiu um acordo com a Stellantis para produzir em massa seus veículos elétricos de decolagem e pouso vertical já em 2024.

Apesar disso, as autoridades norte-americanas ainda não autorizaram a liberação do serviço, o que faz do futuro do setor uma grande incógnita, levando, inclusive, a desistência de empresas como a Kitty Hawk.

*Crédito das informações:  Olhar Digital



•  

Grande FM
Publicada em:

Usamos os cookies e dados de navegação visando proporcionar uma melhor experiência durante o uso do site. Ao continuar, você concorda com nossa Política de Privacidade.