Atração no ARS
NO AR
Tocando agora
VOCÊ CURTE
EM DOURADOS
16/04/2024 13h40min - Saúde
1 mês atrás

Casos de câncer de mama devem aumentar em todo o mundo, alerta estudo


Canva/Grande FM ► 
Fonte: Fonte Grande FM



O câncer de mama ultrapassou o de pulmão e se tornou o mais comum atualmente. Em 2021, a Organização Mundial da Saúde (OMS) estabeleceu como meta global a redução da mortalidade pela doença em 2,5% por ano até 2040. Isso significaria evitar a morte de 2,5 milhões de pessoas. No entanto, um novo estudo aponta uma série de obstáculos para atingir o objetivo proposto.

Desinformação é um problema grave

Segundo pesquisadores, a desinformação e o estigma associado à doença, além da desigualdade na oferta de tratamentos dificultam o tratamento e o diagnóstico do câncer de mama. O trabalho foi assinado por especialistas em oncologia, radioterapia e epidemiologia de diferentes países, e foi publicado na revista científica The Lancet.

O estudo afirma que o desconhecimento sobre a doença é um dos principais desafios. A falta de informação interfere no modo como profissionais de saúde lidam com o quadro e como as próprias pacientes se encaram, tendendo a uma postura cética e retardando a busca por ajuda.

Outro problema é a subnotificação de casos de metástase (quando o tumor se espalha para outros órgãos), o que dificulta o planejamento e a oferta de cuidados. Por isso, os pesquisadores reforçam a importância de iniciativas que promovam a inclusão social das pacientes, como flexibilizações legais no regime de trabalho, e projetos que ajudem a transformar a concepção da doença.

Dificuldades de acesso ao tratamento da doença

Outro ponto levantado no estudo é que o acesso ao tratamento é desigual.

Existem grandes diferenças entre países ricos e de baixa renda, bem como em sistemas públicos de saúde e em privados.

Um estudo divulgado em 2021 pela Fundação do Câncer mostrou que apenas 34% das pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS) conseguiram começar o tratamento em até 60 dias após o diagnóstico, limite previsto em lei para o início dos cuidados no sistema público.

Mesmo no setor privado, apenas 48% iniciaram dentro desse prazo no Brasil.

O relatório prevê um aumento gradual da incidência de câncer de mama no mundo todo devido ao atual estilo de vida no ocidente, que envolve, entre outros fatores, sedentarismo, alto consumo de álcool e de alimentos ultraprocessados.

 

*As informações são da Folha de São Paulo.



•  

Grande FM
Publicada em:

Usamos os cookies e dados de navegação visando proporcionar uma melhor experiência durante o uso do site. Ao continuar, você concorda com nossa Política de Privacidade.