Atração no ARS
NO AR
Tocando agora
VOCÊ CURTE
EM DOURADOS
23/11/2023 09h00min - Agronegócio
3 meses atrás

Carga de carne congelada produzida em MS inaugura exportação via Rota Bioceânica

Com destino aos portos do Chile, oficialmente, esse é o primeiro transporte de produtos pelo novo trajeto

Foto divulgação ► 
Fonte: Fonte Campo Grande News



Carga de carne congelada inaugura as exportações pela Rota Bioceânica. O envio ocorreu na quarta-feira (22). Com destino aos portos do Chile, oficialmente, esse é o primeiro transporte do que é produzido no Estado a utilizar o novo corredor rodoviário.

Conforme divulgado, a carreta fará a travessia de balsa pelo Rio Paraguai, posteriormente passará por várias cidades da Argentina até chegar ao seu destino, a cidade de Iquique, no Chile. A previsão é que a viagem dure cinco dias, assim, a chegada da carga deve chegar no dia 29 de novembro.

Ao todo, estão sendo transportadas 12 toneladas de carne bovina congelada e desossada, em um caminhão refrigerado. O transporte está sendo feito pelo frigorífico da Friboi, empresa da JBS presente em Campo Grande, na saída para Sidrolândia.

O transporte está sendo realizado durante a terceira edição da expedição, organizada pelo Setlog-MS (Sindicato das Empresas de Transporte), que promove a Rota Bioceânica. Durante a viagem, também serão identificados as condições de imediata utilização da rodovia e os avanços na área de Aduanas e Autoridades Intervenientes de comércio exterior. 

Expedição - A 3ª Expedição da Rota Bioceânica ou Rila (Rota de Integração Latino-Americana) terá 100 participantes saindo de Campo Grande nesta sexta-feira (24). Entre os integrantes estão autoridades, empresários e parceiros do megaprojeto. O ponto de partida do comboio está marcado em frente ao Monumento Rila, com a presença de 35 veículos.

Histórico – Desde a primeira expedição em 2013, o Setlog-MS já realizou outras três viagens de prospecção em que foram mapeadas as possíveis rotas.

A previsão é de que a comercialização internacional de grãos poderá atingir 135 milhões de toneladas e a saída pelo Oceano Pacífico reduzirá em cerca de 11 mil km de rota marítima o percurso feito atualmente feito pelo Oceano Atlântico.

“É uma rota mais barata e atende às necessidades técnicas para atingirmos os portos do Chile e fazer chegar os nossos produtos no mercado asiático”, avalia o presidente do Setlog, Cláudio Cavol. 



•  

Campo Grande News
Publicada em:

Usamos os cookies e dados de navegação visando proporcionar uma melhor experiência durante o uso do site. Ao continuar, você concorda com nossa Política de Privacidade.