Atração no ARS
NO AR
Tocando agora
VOCÊ CURTE
EM DOURADOS
20/09/2023 13h30min - Geral
5 meses atrás

Ártico recebe painéis solares em projeto inédito


Imagem: Bilanol/Shutterstock ► 
Fonte: Fonte Grande FM



Um projeto piloto vai instalar painéis solares no arquipélago de Svalbard, na Noruega. Esse é o primeiro teste para levar energia renovável para comunidades remotas do Ártico. No total, são 360 painéis solares que começarão a operar nesta quinta-feira (21).

Os painéis solares irão fornecer eletricidade para uma antiga estação de rádio de navegação, a Isfjord Radio, agora convertida em um acampamento base para turistas.

O arquipélago varrido pelo vento – também conhecido como Spitsbergen – está localizado a cerca de 1.300 quilômetros do Polo Norte e é acessível apenas por barco ou helicóptero, se o tempo permitir.

Outros 100 painéis solares estão posicionados no telhado da estação de rádio, que até agora funciona com geradores a diesel. Eles devem cobrir cerca de metade das necessidades de eletricidade do local e reduzir as emissões de CO2.

Potencial solar ilimitado (apenas no verão)

No verão, a região recebe luz solar abundantemente, com um “sol da meia-noite” que nunca se põe.E é exatamente esse potencial que o projeto quer captar.Além da luz do  Sol, os equipamentos também se beneficiam do poder reflexivo da neve e do gelo, bem como das baixas temperaturas que melhoram a eficiência energética.Por outro lado, no inverno, a região fica mergulhada na escuridão total do início de outubro até meados de fevereiro, o que torna impossível para a Isfjord Radio abandonar completamente os combustíveis fósseis.A Store Norske está, portanto, também considerando outras alternativas, como parques eólicos, para promover uma transição energética.Mais painéis solares devem ser instalados no Ártico

Se o projeto piloto tiver sucesso, outros 1.500 locais ou comunidades no Ártico que não são conectados às redes elétricas tradicionais também receberão painéis solares.

De acordo com um estudo publicado no ano passado, o Ártico aqueceu quase quatro vezes mais rápido do que o resto do planeta nos últimos 40 anos, fazendo com que o gelo derretesse mais rápido e perturbando os ecossistemas. Isso afetou as populações locais e o resto do mundo, com o aumento do nível do mar e eventos climáticos extremos.

"Queremos fazer da Rádio Isfjord um local de teste para obter uma tecnologia comprovada no Ártico que possamos depois levar para outros locais como este". 

 Comenta Mons Ole Sellevold, assessor técnico de energias renováveis do grupo estatal de energia Store Norskecomenta



•  

Grande FM
Publicada em:

Usamos os cookies e dados de navegação visando proporcionar uma melhor experiência durante o uso do site. Ao continuar, você concorda com nossa Política de Privacidade.