08/10/2013 07h22 - Atualizado em 08/10/2013 07h22

Controle biológico de pragas é tema de pesquisa científica

Pesquisas realizadas pela Fundação MS buscam potencializar o uso do controle biológico no Estado.

Por: Redação
 
 
Podisus nigrispinus se alimentando da lagarta-do-cartucho (Spodoptera frugiperda). (Foto Juliana Simonato) Podisus nigrispinus se alimentando da lagarta-do-cartucho (Spodoptera frugiperda). (Foto Juliana Simonato)

O controle biológico vem ganhando espaço no Manejo Integrado de Pragas (MIP), principalmente em um momento em que se discute a produção integrada rumo à uma agricultura sustentável. O controle biológico consiste na regulação da população de plantas e animais por meio de seus inimigos naturais, ou seja, são insetos, fungos, vírus, bactérias, nematoides, entre outros, que realizam o controle das populações de pragas, mantendo-as abaixo do nível de dano, de forma natural, sem prejuízos ao meio ambiente.

Atualmente, é possível encontrar um crescente número de trabalhos com controle biológico de pragas agrícolas. Porém, ainda há uma carência de pesquisas nesta área e principalmente de transferência dessa tecnologia ao produtor rural, possibilitando que essas informações cheguem ao produtor de forma correta e direcionada para a realidade de cada região.

Foi pensando nessa realidade que a Fundação MS, que tem como objetivo realizar pesquisas agropecuárias e transferir essa tecnologia ao produtor rural através de publicações, dias de campo, palestras e apresentação de resultados, iniciou em 2013 pesquisas com controle biológico de pragas. As pesquisas são realizadas à campo e no laboratório de controle biológico, criado no início de 2013 pela Fundação MS em parceria com a Embrapa Agropecuária Oeste, a qual auxiliou na transferência da tecnologia de criação dos insetos.

A bióloga Juliana Simonato*, estudante de Mestrado da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) e estagiária do laboratório de controle biológico, desenvolve seu projeto em parceria com a Fundação MS. “Inicialmente, estamos realizando pesquisas com seletividade de agrotóxicos sobre o percevejo predador Podisus nigrispinus, inimigo natural de lagartas de diversas culturas, incluindo soja, milho e eucalipto, e também com o percevejo fitófago Euschistus heros (percevejo-marrom da soja), inseto-praga de grande importância na cultura da soja”, revela a pesquisadora.

Ela explica que os estudos sobre seletividade são de grande importância, pois através desses resultados é possível optar por produtos que são seletivos, ou seja, que atinjam somente o alvo, que pode ser doenças, insetos-praga ou ervas daninhas, e que não afetem as populações de inimigos naturais que se encontram nos agroecossistemas, conservando a população destes insetos benéficos, permitindo assim, que o controle biológico aconteça.

“De nada adianta liberar inimigos naturais nas lavouras, ou mesmo ter a intenção de preservar as espécies que se encontram naturalmente no local, se não fizermos o uso de produtos seletivos, caso contrário, os inimigos naturais serão afetados e o controle biológico não surtirá o efeito esperado”, enfatiza.

A bióloga também explica que durante a safra 2013/2014, serão realizadas várias pesquisas com controle biológico na cultura da soja, visando a obtenção de informações e resultados que tornem o uso do controle biológico mais viável e aplicado às necessidades do produtor rural.

O uso indiscriminado de agrotóxicos tem causado uma série de problemas, como a resistência e o ressurgimento de pragas, pragas secundárias que se tornam pragas-chave, efeitos negativos sobre inimigos naturais, além da contaminação da água, do solo, alimentos e outros organismos vivos. “Dessa forma, através do controle biológico é possível reduzir o número de aplicações de agrotóxicos, gerando economia ao produtor e reduzindo os impactos no meio ambiente”, conclui a bióloga.


(1) Comentário

Envie seu Comentário!

Restam caracteres. * Obrigatório
Digite as 2 palavras abaixo separadas por um espaço.
 

Sucesso, que bom saber que está desempenhando o que sempre foi sua paixão. Saiba que nesse mundo pessoas que se preocupam com a estabilidade ambiental sao poucas, todos buscam tao somente a estabilidade financeira.... por isso, digo, eu te desejo muito sucesso no desempenho de atividades que venha na preservação da natureza.... bjus

 
Duarte Advogado em 06 de junho de 2015 às 21:59


 

Notícias

Brasil
Dourados
Esportes
Mulher
Mundo
Policial
Rural
Saúde
Shopping

Canais

Programação
Promoções
Recadinhos
Festas&eventos
Entretenimento
Horóscopo
Agenda Cultural
Fotos Flagrantes

Expediente

Sobre a Rádio
Responsabilidade Social
Nossa História
Localização
Abrangências
Política Comercial
Política de Privacidade
Termos de uso
Anuncie

Rádio e Televisão Gran Dourados
Rua Gustavo Adolfo Pavel, 935 - Vila Tonanni
Dourados - MS - CEP - 79825-901

+55 (67) 3411-1992 - Atendimento
+55 (67) 3411-1915 - Anuncie
+55 (67) 3411-1914 - Fax